quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

revirando um antigo caderno...



Como será que vou saber se hoje não é que tudo acaba? E todas as manhãs eu admiro novas nuvens de cores que balançam as folhas no quintal. No velho rádio tocam músicas com tão cheiro bom de meu café. E a luz invade toda a sala como uma criança que ganhou um grande presente. O corpo todo sorri. Enquanto olhares se abraçam. Uma parte de mim se alegra ao desejar que tudo fosse como um bom começo. Mas só uma parte. Porque outra insiste em lembrar que sabe que tudo nasce pra morrer. Pra morrer. Nosso porém é querer viver sempre tão bem. E sempre que a felicidade aparece de repente é que, sem querer, fazemos questão de esquecer que tudo acaba mais à frente.

letra do Quaresma.
desenterrei aqui... priscas eras - rs!

6 comentários:

Gil Costa. disse...

tudo acaba mais à frente.
[tudo passa...]

becodasgarrafas disse...

É como diz aquele ditado: "quando a esmola é grande o santo desconfia", as vezes o sol nasce forte e venta bastante, me lembra os sabados as 9:30 da manhã eu empinando pipa, o almoço o meu pai foi no rei do frango e trouxe uma penosa, a tarde na casa de vó, o fim do sol melancolico me lembrava as musicas que minha madrinha ouvia , "naquela estação" Adriana Calcanhoto, Em fim, teu posta me fez recordar tambem, e aquela fase boa ficou aqui, acabou por lá, mais aqui ficou

Fabiana Sales disse...

Essa "outra parte que insiste em lembrar que sabe que tudo nasce para morrer", ás vezes nos impede de receber a Felicidade que chega suave...

dadina disse...

a morte é um fato e viver é o que resta. é por isso que nunca me esforço hehehe é tão bom viver de ócio. que o diga "validuate".

Anônimo disse...

Taio! Gostei!!!

André Quintão disse...

A foto é do frances atravessand as Torres Gemeas na corda bamba né?
O documentario tem tudo a vê com o texto. Parabens.