quinta-feira, 30 de agosto de 2007

...alegrias (pra dar notícia...)


faz um bocado de tempo que não atualizo isso aqui... e acho que já aconteceu tanta coisa desde a última postagem que agora fica até difícil lembrar dos detalhes (sórdidos ou borboletográficos) para lhes contar. mas garanto que o primeiro acontecimento memorável depois do semitrágico (pelo menos financeiramente falando) desenterro do jumento foi justamente a visita de josé paes de lira, o lirinha do cordel do fogo encantado, que acabou iluminando nossa noite, com sua presteza, atenção e simplicidade. no dia seguinte pude estar em sua companhia e pudemos conversar melhor. foi uma conversa enriquecedora ao som de batuque elétrico, eucapiau e casca verde! ele parece ter gostado muito do que ouviu por aqui. creio, se não me falha o calendário, depois disso recebemos o prêmio solcultura de música, o qual nos garantiu a participação no pipop desse ano. ganhar nosso primeiro prêmio foi muito bom mesmo, ainda mais depois de descosbertas algumas pequenas fraudes na primeira votação, pelas quais não ganharíamos coisa nenhuma. no final de tudo, foi muito divertido, inclusive tocar sem camisa para um de nossos menores e mais íntimos públicos (e lá se vai o youtube mostrar essa traquinagem...). foi um bom show. outro momento importante desse período foi o show de encerramento do chapadão. é de lá que vêm as raízes do formato banda que resultou na validuaté e foi lá também que se deu o batismo da banda, em meio a biscoitos supercalóricos, chuva, e os resultados de sempre. esse show foi especial por representar, de certa forma, o que acredito ser resultado, e mesmo função, de um festival assim: dar oportunidade a novos compositores de mostrar suas canções e aprender a andar com as próprias pernas! bom som, bom público, bom show! o show do pipop é que marcou mais por todas as turbulências dos bastidores, de semanas antes e minutos antes do show! mas foi nosso show mais empolgante, o maior público (mesmo pegando emprestado dos paralamas...). grande experiência! tudo muito bonito, mas só quem tá lá dentro mesmo é que conhece o funcionamento da grande máquina do capital. bons mesmo são os resultados de todas essas experiências juntas. durante tudo isso, cuidávamos do disco. o disco. meu deus, quanto suor! mas vai nascer um menino forte e sadio! como todo filho muito esperado, já tinha nome desde muito antes. vai nascer a cara dos seis pais!!!! mas com a brisa nos cabelos e a leveza e de todas as mães. essas moças... ainda tivemos outros shows, mas esses deixo pra jajá.

ah! hoje tive o prazer de ver (na verdade, conhecer melhor) a arte encantadora de gustav klimt, do qual tomei a ilustração acima. se chama lebensbaum! tive várias idéias depois dessa tarde.

abraços fraternos e grandes!

Um comentário:

Idéias fluem disse...

ai zé falar do Lirinha fez-me lembrar do show dele aqui,maravilhoso,ele nos trouxe chuva nesse dia,mesmo que fina mas trouxe.
Olha muita sorte na saída desse CD,tu sabe que se depender de mim vcs se darão bem com esse cd.Gostei do quadro...Gustav Klimt...êbaaa vou ter com quem conversar sobre arte boa,eu espero,ainda não encontrei ngm que conheça ele,um pintor simbolista impecável,austríaco se não me engano...no mais,boa postagem,pra quem estava há um bom tempo sem dizer coisas demais!!

beijos aos seis!